+55 (11) 5183-5187  ou  5183-5096

contato@boog.com.br

MAPEAMENTO 360º – O DIA SEGUINTE

Marcelo Boog

Muitas empresas fazem investimentos no desenvolvimento dos profissionais que atuam na organização, através do Mapeamento 360º. Como ferramenta para o desenvolvimento, o mapeamento faz o diagnóstico de onde agir e onde desenvolver em cada pessoa. Esta é também uma das estratégias de retenção e valorização destes talentos.

 

O Mapeamento 360º faz uma “fotografia” do momento. Como a interação das pessoas é dinâmica, os indicadores podem se alterar ao longo do tempo, para melhor ou para pior. O tempo influencia diretamente as respostas, ou seja, quanto mais se convive com um determinado profissional mapeado, com mais conhecimento de causa pode-se fazer este mapeamento.

Tendo um profissional mapeado, o que deve então a empresa fazer? Como agir? Quem puxa esta fila?

De nada adianta a empresa querer desenvolver um determinando talento de um profissional, se este não quer ser desenvolvido. Sem vontade e motivação própria, o desenvolvimento não acontece, ou acontece minimamente, apenas para atender uma demanda ou imposição do superior hierárquico.

A empresa deve querer o desenvolvimento. Isso significa que o desenvolvimento não é apenas um projeto do RH, mas sim deve estar enraizado na empresa. O presidente e os diretores são peças críticas, sem o exemplo e ação deles o processo pode se tornar insustentável.

Desta forma, tendo a empresa e o profissional desejando o mesmo objetivo (desenvolvimento) e tendo um mapa na mão de onde agir, é só colocar em prática. Para isso, a empresa deve buscar o apoio necessário junto ao RH. Deve buscar que cada líder converse franca e abertamente sobre os pontos do mapa feito. Com base nos resultado do mapeamento, deve traçar um plano de ação prático e objetivo, com ações mensuráveis, datas, prazos, responsáveis, etc.

Cada profissional mapeado deve entender e aceitar o mapeamento como um investimento que a empresa está fazendo nele. É natural o sentimento de gratidão, principalmente por aqueles que querem se desenvolver.

A empresa deve ainda apoiar este desenvolvimento através de um coaching (com algum profissional da própria empresa) ou counseling(com um consultor externo), sempre que necessário. A decisão entre coaching ou counseling deve ser tomada com a participação do profissional envolvido, uma vez que em cada um apresenta suas vantagens e desvantagens em relação ao outro. O coaching realizado internamente tem com vantagem: o coach conhece a empresa, suas políticas, prioridades e fundamentalmente as pessoas. Ocounseling tem como vantagem a isenção, ou seja, todos os tipos de temas são tratados abertamente, inclusive temas que politicamente não são confortáveis de serem tratados com alguém da casa.

De uma maneira geral, as empresas investem muito mais em treinamentos técnicos que em treinamentos gerenciais ou comportamentais. Ainda de um modo geral, os resultados de um processo de Mapeamento 360º indicam a necessidade de intervenções gerenciais e comportamentais.

O processo de desenvolvimento é de responsabilidade de cada profissional. Ele pode ser facilitado pela empresa (com o T&D, Mapeamento 360º, coachingcounseling, etc) , mas quem deve de fato interiorizar cada aspecto a ser desenvolvido é o próprio interessado.

 

Ver Todos os Artigos

SOLICITE ATENDIMENTO


captcha