+55 (11) 5183-5187  ou  5183-5096

contato@boog.com.br

FALTA DE COMPROMETIMENTO: COMO TRANSFORMAR ISTO? 

Gustavo G. Boog

A falta de comprometimento se manifesta nos pequenos e grandes exemplos: nas minhas caminhadas matinais percebi de uns tempos para cá que há um número crescente de pessoas que adoram levar seus cães para passear, e que tomam seus cuidados com os dejetos caninos. Ter animais domésticos, em especial cães, é muito gostoso, mas as casas e apartamentos pequenos obrigam seus donos a levarem os bichos para suas caminhadas diárias. E, sem cuidados, os jardins, calçadas e ruas ficam perigosamente marcados com cocô de cachorro, muito desagradável de ser pisado. Agrada-me saber que as pessoas agora cuidam melhor de seus animais, contribuindo para que o ambiente seja mais limpo.

Isto é respeito pelos outros. Isto é comprometimento com o bem estar dos outros e com o meio ambiente.

Gosto de uma propaganda de automóvel, onde alguém descuidado joga lixo na rua e outro recolhe, não sem um olhar de reprovação. E é isto mesmo que precisa ser reforçado: respeito pelo próximo, respeito pelo meio ambiente. Se o cocô de cachorro é uma metáfora do que ocorre em outros níveis da sociedade, cabem as perguntas:

•    o que estamos jogando de nosso lixo dentro dos limites das pessoas ao nosso redor?
•    quanta irritação, ofensas e humilhações (lixo) estamos jogando em cima dos outros?
•    o que estamos jogando de lixo nos rios, no ar ou em terrenos baldios? (é tão mais fácil jogar entulho na rua que pagar uma remoção…)?
•    o que nossa empresa empurra de produtos defeituosos  para seus clientes?
•    o que está sendo causado de irritação com ineficazes serviços 0800 que deixam as pessoas por 40 minutos na espera?

E a lista não acaba aí!

Nas empresas a falta de comprometimento se manifesta, por exemplo, com não cumprir com o combinado numa reunião, com prazos acertados, com cláusulas contratuais, com normas e procedimentos. Quem está acostumado a cumprir aquilo que prometeu geralmente sofre com pessoas que não agem com igual empenho, pelos mais variados motivos. Tem gente que é meio desligada com prazo, que não se importa muito em cumprir uma data ou horário com o qual se comprometeu. Outros fazem isto de forma intencional. Nós vivemos numa sociedade de interdependências, e o não cumprimento de uma parte implica em atrasos no projeto inteiro ou em alguém ter que “dar o sangue” para assegurar o cumprimento de um prazo final comprometido. Isto custa muito dinheiro, pois gera muito desperdício de recursos e tempo, retrabalho, descoordenação, para nem falar dos desgastes emocionais desta situação.

As causas desta falta de comprometimento são muitas e escapam ao espaço deste artigo, mas com certeza a forma de perceber o mundo, os valores de consumismo desenfreado, a falta de envolvimento nos processos decisórios, entre outros, são fatores que estão definindo o nulo ou baixo comprometimento. Para transformar esta dificuldade num potencial, podemos resumir:

•    Se possível, não gere “lixo”. Mas, se gerar, cuide bem dele para que o próximo não fique prejudicado
•    Pense bem antes de assumir um compromisso; se assumir, cumpra
•    O respeito ao próximo é a base de tudo
Ver Todos os Artigos

SOLICITE ATENDIMENTO


captcha